Primeiras linhas…

É uma sensação estranha e peculiar a de dar boas vindas a um local que parece ter sempre existido dentro de mim.

Talvez eu devesse apresentar aos leitores a proposta deste novo espaço, contar um pouco sobre a minha história, enfim, esses rituais que são praxe em grande parte dos primeiros textos de um blog…

Mas, não vou fazer isso. Eu me permitirei deixar as racionalidades de lado e, partindo desse pressuposto, meu desejo é apenas que vocês percebam por si próprios o novo ambiente.

Sintam-se em casa. Adentrem, no ritmo que acharem conveniente, o meu inverno particular.

Como costuma dizer uma grande e sábia amiga minha, Inge Lobato:

“Quase todos nós temos invernos pessoais. Alguns apenas disfarçam por medo de conhecer o seu próprio inverno ou, talvez, por receio de que as pessoas descubram que, no fundo, a solidão é parceira nata de cada ser humano.”

Conversaremos aqui a partir de agora, na intuição de que os detalhes sejam, talvez, a melhor e mais importante parte de um conjunto.

Porque intimista é tudo aquilo que a gente se permite viver sem medo de adentrar profundezas…

E então, vamos tentar?

Anúncios

11 comentários sobre “Primeiras linhas…

  1. Carmen Soares disse:

    Parabéns Taty, mesmo sem conhecê-la, pela leveza com que voce escreve. O convite para “adentrar profundezas” é um se jogar inteira pela vida, talvez depois de algum tempo isso não seja mais, tão ameaçador.
    Um bj.

    Curtir

  2. Inge disse:

    Oi, lindona!
    Que felicidade a minha ver seu novo espaço, que está lindo, e esse convite maravilhoso que é o seu texto de abertura. Tive uma grata surpresa ao me ver nas suas linhas e fiquei emocionada com o carinho. Obrigada por ser essa pessoa tão especial, que brinda com amor tantas vidas que te leem. Muito sucesso e viva aos nossos sagrados detalhes intimistas. Beijos da fã!

    Curtir

  3. Vanessa disse:

    Olá, venho aqui desejar boa sorte com este novo blog. Simplesmente adorei o “intimista é tudo aquilo que a gente se permite viver sem medo de adentrar profundezas…”. Concordo plenamente. Boa sorte e voltarei.

    Curtir

  4. Claudia Costa disse:

    Delíciaaaaaaaaaaaaa!!

    Amante de invernos e intimidades, amei essa sua nova empreitada.
    Parabéns pela coragem de encontrar-se e mostrar-se de outra forma, mais inteira, mais humana, mais adulta…

    Que seja um tempo de sucesso e muita VIDA!!

    Amo-te!!

    Curtir

  5. heliabh disse:

    Ah, minha querida… que lindo!!!

    Texto lindo em um blog lindo… Uma delícia ler suas palavras, que trazem pra gente leveza e profundidade na medida certa, como devem ser certos detalhes intimistas…

    Eu sempre disse e ouvi dizer que todos temos nossos “infernos pessoais”. Tinha que vir de você e da minha amiga secreta (porém declarada) Inge Lobato esse termo tão mais bonito e poético: invernos pessoais!

    Ao contrário do que sugere meu nome (Hélia = filha do sol), eu amo o inverno! É quando eu fico mais alegre, mais disposta, mais animada… para tudo! Inverno me traz lembranças felizes. Então, invernos pessoais, me remete a um momento meio “eu comigo mesma”, mas um momento bom, bonito, necessário. Coisas que, às vezes quero dividir com poucas pessoas, às vezes não quero dividir com ninguém… mas que é o que me faz ser quem sou!

    Assim vejo seus detalhes intimistas… é você, se mostrando, sem ter que se revelar totalmente… porque a gente não precisa mesmo se revelar toda… e porque é nos detalhes que está tudo de mais importante!

    Parabéns!

    Amei! Continue nos brindando com a sua presença!

    Beijos!

    Curtir

  6. Claudio M.O. Moura disse:

    Tatiana, parabéns pelo “Detalhes Intimistas” e seus novos rumos. Você não vai tentar pois tudo que escreve ou trilha tem o brilho do sucesso e da beleza.
    Com licença, Inge Lobato, adorei:
    “Quase todos nós temos invernos pessoais. Alguns apenas disfarçam por medo de conhecer o seu próprio inverno ou, talvez, por receio de que as pessoas descubram que, no fundo, a solidão é parceira nata de cada ser humano.”
    Um forte abraço do amigo,
    Claudio

    Curtir

  7. Lunna Guedes disse:

    Deixei pra vir aqui depois que o vento soprasse por todos os lados, escacarando janelas e o fiz porque sou de casa, então tinha que esperar tudo ir para os devidos lugares.
    Então quando aqui cheguei há pouco, fui olhando os móveis, o tapete e os quadros. Olhando para tudo como se eu fosse aquela amiga dizendo “esse quadro ficou bom aqui” e ao sentar-me no sofá senti aquele cheiro de coisa assando no forno, eram palavras sendo servidas e eu aqui degustando dessa nova atmosfera. Delicoso…
    bacio carissima e muita inspiração

    Curtir

    • animandoc disse:

      Tati querida, lindos todos os posts até agora. Li cada um, sentindo dentro de mim cada nuance expressa em suas palavras ou em suas entrelinhas.
      Sim, vamos tentar! Se tem algo que não temos medo é das profundezas, né? Ou não. Talvez tenhamos medo, mas nossa coragem seja maior.
      Não sou fã dos invernos, mas encará-los me faz encontrar-me comigo mesma. E esse encontro tem sido uma experiência bela. Às vezes.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s