Notas de rodapé…

(…) É urgente içar novos versos,
escalar novas metáforas
recalcadas pela angústia (…)

[Armando Artur]

Confesso: não sou amante de notas de rodapé. Nunca entendi de maneira suficiente o sentido que elas agregam – mesmo sabendo que algumas palavras não bastam em si e, por causa disso, necessitam de explicações mais extensas.

Para mim, o que é essencial sempre esteve intrínseco ao próprio texto. Cansa-me ter que direcionar os olhos ao final da página, com aquelas letras geralmente miúdas, onde quase nada se enxerga claramente.

Além do mais, quando retorno ao que estava lendo – lá no topo -, é como se perdesse a linha de raciocínio, precisando recomeçar tudo de novo…

Do meu leigo ponto de vista, a nota de rodapé talvez seja até um “mal necessário”, mas inevitavelmente me soa como uma quebra. Uma vírgula fora de hora. Um lapso de pensamento que tira a alma do seu eixo.

Costuma ocorrer de modo semelhante nos meus dias rotineiros… A existência, em sua sabedoria nem sempre compreensível, mas muito presente, traz notas de rodapé inesperadas ao meu universo… Faz-me parar em meio à caminhada, ainda que a vontade seja nula para tal.

Por vezes, o desejo se concentra apenas em seguir o rumo, seja ele qual for – que me conduza a manter certa espécie de sanidade (existe?) e não perder de vista alguns sonhos… Mas as benditas notas de rodapé têm vida própria. São teimosas e quase nunca seguem o fluxo proposto por meu coração…

Em instantes assim, vejo-me obrigada a uma pausa para percorrer atalhos. Não aqueles que tornam a trilha mais rápida – e sim os que precisam de solução imediata. São urgentes. Vorazes. Consomem tudo de mim.

E, então, questiono-me… como fazer para retornar à “leitura” após a avalanche insistente em meio às lacunas cotidianas? Nos livros, bastaria voltar um certo número de páginas – mas no dia-a-dia já não é tão simples. É necessário respirar fundo… Traçar um novo percurso, sem deixar de lado a ideia inicial… Continuar – acima e apesar de qualquer parada.

De fato, eu precisei me acostumar às notas de rodapé. Elas não vão deixar de existir só porque eu não as aprecio – ou por me incomodarem em demasia.

Aos poucos, entendi que não custa ler atentamente e buscar a compreensão do que cada uma delas vem me trazer. Afinal, se não tivessem nada de valioso a ser dito – certamente nem estariam ali.

Anúncios

5 comentários sobre “Notas de rodapé…

  1. Mariana Gouveia disse:

    Notas de rodapé me faz lembrar de conselho de mãe. É uma coisa que você sabe que viu, que tem de levar em conta, mas que, ignora na maior parte do tempo.

    Tati, até em uma coisa simples tuas palavras encantam.
    E sobre os atalhos, muitas vezes, acaba sendo a melhor parte do dia.
    beijos

    Curtir

  2. Lunna Guedes disse:

    Fiquei aqui pensando nas notas de rodapé dos livros e, confesso que não consigo me lembrar de nenhuma. Vou precisar atentar-me para isso na próxima leitura (rs) – mas acho que não gosto delas. Minha vida tem notas mentais, já basta, não acha? rs

    bacio

    Curtir

  3. Carmem Grinheiro disse:

    Olá Taty, estava afastada há algum, agora à sua procura no meu painel, ia me apercebendo que você também não tinha posts recentes, e já estava desistindo quando descobri o seu post em que você encaminhava para este seu novo espaço e sorri: ok. Cá estamos então de volta aos seus textos sempre com seu cunho. Eu, ao contrário de você, perdoe-me, sou fã das notas de rodapé. Talvez devido a essa minha mania de achar que há sempre algo a acrescentar, ou explicar melhor, ou, por outra, justificar com um exemplo aqui ou ali, enfim! Mas concordo com você, que nos obriga a um esforço para retomar o “fio à meada”, e na leitura ficamos sempre “lá e cá”… verdade.
    Por outro lado amei a analogia que faz com o cotidiano, não tinha ainda pensado desta maneira, mas acho que minha vida também anda com muitas “notas de rodapé”, e, sinceramente, acho que não gosto dessas.

    bjos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s