Inevitável

“Nesta noite de poucas estrelas, me apaixonei por teus olhos e agora já não sei mais como perdê-los de vista…”

Na verdade sei, mas não me lembro como…

Preciso, mas não quero…

Posso, mas não devo…

Eu não te pedi nada. Você entregou seu coração por conta própria e me amou primeiro, antes que eu pudesse aventar qualquer possibilidade de ser sua. Sei que é fácil jogar a responsabilidade no outro quando se trata de duas pessoas adultas, conscientes de si. Mas, posso dizer, de olhos fechados, que não esperava me apaixonar assim…

Tudo bem, aconteceu… Eu me deixei envolver por seus laços de ouro e você não hesitou em entrar em minhas particularidades também… Não te culpo, não te julgo, mas onde será que desejamos chegar? Há certas coisas que não consigo supor nem me esforço em entender. A possibilidade de amar de novo se tornou mais difícil depois que me abri para tantas pessoas e, quase sempre, obtive a frustração como resposta… porém, busco imaginar que com você pode ser diferente.

É claro que eu não imagino um romance eterno, afinal, hoje compreendo que conto de fadas e realidade são coisas bem diferentes… Mas, quando penso no dia do nosso encontro, vejo flores em sua pele e sorrisos em minha alma! Um momento, quem sabe? Talvez poucos instantes da mais breve sintonia. Não precisamos de muito, pois a sua sedução me leva a espaços que ultrapassam os limites da temporalidade. Eu te guardo aqui dentro e sei que você já pode sentir meus abraços, da mesma maneira…

Quando falto, você pergunta por mim e meu coração se derrete ao receber suas palavras apaixonadas. As manhãs parecem mornas, sem vida, mas é só rememorar sua figura que meu corpo dá um salto e brilha, brilha como nunca… Eu me imagino perfazendo cada detalhe em sua presença, e sei que não posso simplesmente estar sonhando. Se for delírio, é vivo demais para ficar simplesmente na loucura… Seria muito se eu te pedisse sinais mais claros, para me ajudar a entender tudo isso?

Sou vidrada em seus enigmas, seus códigos e suas fórmulas misteriosas, mas minha fascinação está também em encontrar respostas para o que me dilacera e não me deixa em paz, desde que você chegou por aqui… Sua voz me diz que preciso traçar as rotas por conta própria, mas quem foi mesmo que despertou tamanho sentimento e marcou meu caminho assim?

Venha comigo, só desta vez! Ensine-me a entender…

Por favor, não me leve a mal… Estou aprendendo a viver!

Anúncios

4 comentários sobre “Inevitável

  1. Lunna Guedes disse:

    Fui lendo e aos poucos imaginando mais, um cenário, uma desconstrução e ao mesmo tempo uma construção. Se pudesse, daria o nome de “arquitetura imprópria” e teceria a história a partir de um olhar para um prédio numa esquina qualquer, de uma cidade qualquer do mundo. Traçaria o paralelo entre o edificio que se é o que se esta diante dos olhos. Eu sei, delirei… mas o que posso fazer, anoiteceu e eu fiquei aqui a ler-te entre silencios e barulhos… rs

    bacio

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s