Eu volto, numa estação qualquer…

“Sopra, sopra o vento que encrespa as águas e impele o barco do tempo que é sonho, do tempo que precisa ser atravessado de olhos abertos para nada se desperdiçar disso que, afinal, vamos nos tornando.”

[Lya Luft – In: O tempo é um rio que corre, p. 111]

Anúncios

2 comentários sobre “Eu volto, numa estação qualquer…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s